Como o "fim do Mais Médicos" no RN irá afetar a sua vida? » Todo Natalense
Conecte-se conosco

Como o “fim do Mais Médicos” no RN irá afetar a sua vida?

Rio Grande do Norte

Como o “fim do Mais Médicos” no RN irá afetar a sua vida?

Como o “fim do Mais Médicos” no RN irá afetar a sua vida?

Durante a campanha eleitoral desse ano, o presidente eleito Jair Messias Bolsonaro fez duras críticas aos médicos cubanos no Brasil. No dia 22 de agosto, por exemplo, durante um discurso na cidade de Presidente Prudente (SP), o então candidato afirmou que utilizaria um método de reavaliação para expulsar os cubanos do Brasil. O Governo de Cuba não gostou nada das declarações e resolveu deixar o Programa Mais Médicos, retirando do país mais de 25 mil profissionais.

Em sua conta pessoal no twitter, Bolsonaro rebateu o governo cubano dizendo que as medidas que ele propôs seriam: “os médicos devem passar em um teste de proficiência; seus salários seriam inteiramente para os indivíduos, e não para o governo cubano. E eles poderiam trazer suas famílias se contratados…”. Com isso, Cuba teria se sentido ameaçada, já que 70% dos salários dos médicos são repassados ao governo do país, anunciando, assim, o fim da parceria.

A verdade é que os verdadeiros prejudicados vocês já sabem quem são… os mais pobres.

Mas por que existiu essa necessidade de ‘importar’ médicos de Cuba?

O Brasil possuía dois médicos para cada 1 mil habitantes, o que é um número consideravelmente bom, se a gente comparar com outros países pelo mundo. A Coréia do Sul, por exemplo, tem uma média relativamente inferior ao nosso país, com 1,9 médicos por mil habitantes.

O grande problema que o Brasil enfrentava era a má distribuição desses médicos, muitas vezes pela falta de interesse dos profissionais, que não veem um bom custo benefício em trabalhar nas zonas rurais.

Mas, Mateus, os médicos brasileiros são os vilões? Calma… é importante compreender o contexto. Há um problema grande com a administração desses pequenos municípios. Além da média salarial nesses locais ser abaixo do que se paga nos grandes centros, as prefeituras ainda costumam atrasar salários. Avalie você: o profissional ter de ir pra longe da sua família, receber ‘menos’ e às vezes nem receber. Realmente é um problema!

Então, para solucionar esse problema, o Governo Dilma entrou em contato com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) para elaborar um programa, trazendo para o Brasil médicos cubanos que estivessem dispostos a trabalhar por um salário mais baixo, longe da família e dos grandes centros urbanos, com repasse financeiro diretamente do Governo Federal.

Na época a atitude foi duramente criticada por médicos brasileiros, houve inúmeros protestos e lançaram-se fortes suspeitas sobre a qualificação desses médicos, que teriam que tratar doenças diferentes das de Cuba e necessitariam de uma reavaliação para atuarem em solo nacional.

Apesar de todas essas críticas o STF validou, em novembro de 2017, o Mais Médicos, dispensando a validação de diploma de estrangeiros, ao julgar ações que questionavam pontos do programa federal.

Mesmo com todo o ‘bafafa’, o programa cumpriu com o que prometeu e vários locais do país que sofriam com a falta de médicos tiveram assistência médica de qualidade.

Veja também: Sapos ‘zumbis’ ficam enterrados por mais de 2 anos sem comer no RN; entenda o que acontece

O RN vai ser afetado?

Médico Raul Hernandez, de Cuba, atuando em São Miguel do Gostoso, RN Foto: Karina Soares

Uma reportagem do G1/RN assinada pelos repórteres Igor Jácome e Jeniffer Rocha traz dados assustadores sobre o fim do programa no Rio Grande do Norte. Mais de oito municípios dependiam de forma integral de médicos cubanos e não possuíam nenhum médico brasileiro atuando por lá. Aproximadamente 500 mil potiguares serão afetados de forma trágica pela retirada desses profissionais do nosso Estado. O número total da baixa será de 142 médicos e um total de 67 cidades prejudicadas, o que totaliza 40% dos municípios do RN.

As cidades que devem ficar sem médicos são Bodó, Taboleiro Grande, Timbaúba dos Batistas, Vila Flor, que têm um profissional cada; além de Jardim de Angicos, Riacho de Santana, São Francisco do Oeste e Itajá, que contam com dois médicos cubanos cada uma.

Deixe um comentário
Mateus Ângelo

Idealizador do TodoNatalense. Sou Designer Gráfico e Social Media desde 2013. Atualmente trabalho como diretor de comunicação no município de Ceará-Mirim.

Clique para comentar

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Rio Grande do Norte

Topo