Conecte-se conosco

Curtindo férias em Natal? Cuidado com a exposição demasiada ao sol; veja dicas

Natal

Curtindo férias em Natal? Cuidado com a exposição demasiada ao sol; veja dicas

Curtindo férias em Natal? Cuidado com a exposição demasiada ao sol; veja dicas

O verão chegou, as férias escolares também e com eles começa a temporada de problemas na saúde da pele. A exposição ao sol, os banhos de mar e piscina e outras atividades comuns nas férias requerem uma atenção especial à pele, principalmente se você está em Natal. A cidade do sol recebe uma das maiores incidências de raios ultravioletas no Brasil por isso o uso do protetor solar e outros acessórios é indispensável e a sua pele agradece.

De acordo com a médica dermatologista Renata Leite (CRM-7304), do Centro Médico Saúde da Família, para se ter uma fotoproteção adequada deve-se usar um protetor que tenha fator solar no mínimo de número 30. Além disso, o protetor deve ser reaplicado se a pessoa suar ou tomar banho. Se não fizer nada disso, reaplicar pelo menos a cada três horas.

“Dependendo do tipo de pele, se for uma pele mais clara, deve-se usar um fotoprotetor de proteção maior, como 50, 70, além de chapéu, óculos e camisas com proteção. Muito cuidado também com as crianças. Deve-se usar nelas sempre essas proteções físicas, como camisas, chapéus, para aumentar a proteção”, explica a dermatologista. Além do uso de protetores, a ingestão de bastante líquido também é essencial para o cuidado com a pele, pois evita a desidratação.

E não pense  que, se está embaixo da barraca, só tomando uma cervejinha e comendo uns petiscos, não é necessária proteção solar. Errado! “A areia reflete a radiação, por isso às vezes a pessoa fica embaixo do guarda-sol, acha que não vai queimar a pele e quando chega no final do dia está bronzeada, porque a radiação reflete na areia e queima do mesmo jeito”, alerta Drª Renata, do Centro Médico Saúde da Família de Igapó, que funciona na Av. Tomaz Landim, 510, Zona Norte de Natal. O centro oferece serviços de várias especialidades a preços populares e uma nova unidade será inaugurada na próxima segunda-feira (14/01) no cruzamento das avenidas Prudente de Morais e Bernardo Vieira.

QUEIMADURA DE SOL

Se você ultrapassou os limites, não atentou para a proteção da pele, ficou muito tempo exposto ao sol e a pele ficou vermelha, você sofreu uma queimadura de primeiro grau. Dependendo da intensidade, essa queimadura pode evoluir para o aparecimento de bolhas. Em casos como esses, as recomendações são: usar bastante hidratante na pele (de preferência aqueles sem fragrância e sem cor), beber bastante água e fazer uso de água termal borrifada na pele, o que serve para acalmar a epiderme.

Para que isso não aconteça novamente, além do cuidado redobrado com a proteção da pele, é preciso evitar a exposição ao sol em horários de maior incidência da radiação ultravioleta, que são das 10h às 16h.

Agora, se você tiver dor de cabeça, febre e astenia (fraqueza física) podem ser sinais de insolação. A recomendação aqui é procurar um médico, pois este é um caso mais grave e pode até levar à morte.

Drª Renata Leite, do Centro Médico Saúde da Família do Igapó, recomenda o uso de protetor solar e ingestão de bastante líquido nesse verão.

PRINCIPAIS PROBLEMAS DO VERÃO

Os principais problemas de pele no verão são os relacionados ao calor. Pessoas que têm a pele mais sensível estão mais sujeitas ao aparecimento de brotoejas e dermatite atópica, que é quando a pele apresenta erupções que coçam, aliadas ao surgimento de crostas.

As micoses podem tornar-se uma verdadeira dor de cabeça nessa época do ano. Com o calor em excesso, a pele fica mais úmida, oleosa e isso favorece alguns tipos de micoses, como o pano branco e as chamadas “tinhas”, micoses que apresentam manchas vermelhas de superfície escamosa, bordas nítidas e que coçam bastante. Quando acomete os pés, a “tinha” pode ser chamada de “pé-de-atleta”, mas pode aparecer em qualquer lugar do corpo.

“Nesse caso também deve-se procurar um médico, que vai prescrever um tratamento específico, dependendo da micose. Geralmente essas micoses são mais fáceis de se tratar, desde que o paciente siga as recomendações e tome os cuidados necessários”, afirma a dermatologista.

CÂNCER DE PELE

Ao mínimo aparecimento de alguma lesão suspeita na pele, não existe outra recomendação: é procurar um médico dermatologista para que seja analisada adequadamente a gravidade ou não daquele problema e para que o paciente seja encaminhado a um local adequado para o tratamento.

Os cânceres de pele mais comuns são os chamados não-melanomas; também são os que estão mais relacionados à radiação ultravioleta. Os primeiros sinais de câncer de pele geralmente são feridas que não cicatrizam, sangram, machucam com facilidade e crescem rapidamente. Em relação aos melanomas, geralmente há o aparecimento de manchas mais escuras e de aparências mais irregulares.

“Quanto mais precoce o diagnóstico, menor o tamanho da lesão, menor o tamanho da cirurgia e mais fácil será de resolver o problema. Então geralmente aqui no Centro Médico Saúde da Família nós damos o diagnóstico e, dependendo do tipo de lesão e do local, nós encaminhamos para um hospital”, acrescenta Renata.

Esta matéria é um oferecimento do Centro Médico Saúde da Família – O Centro Médico de todas as famílias. Entre em contato pelo WhatsApp (84) 99141-2423 ou pelo telefone (84) 3214-2426.

Deixe um comentário
Diego Campelo

Sou jornalista com passagens por jornais impressos e online da capital potiguar e assessorias de comunicação de empresas públicas. Atualmente trabalho como assessor de imprensa. Instagram: @campelodiego1

Clique para comentar

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Natal

Popular

Publicidade
Topo